segunda-feira, 11 de maio de 2009

Como consequencia da atividade anormal dos neurônios (celulas cerebrais) ocorre as convulsões, as mais frequentes e conhecidas são as "tónico-clónicas" na fase tónica, o doente perde rapidamente o conhecimento, cai, e o corpo torna-se rígido; na clónica, ha contrações repetidas dos músculos de partes diferentes do corpo.

Ter convulsão não necessariamente significa que a pessoa tenha epilepsia, porém ao ter dois ou mais ataques epiléticos a pessoa pode ser considerada epilética.

Como agir?






Mantenha-se calmo e acalme quem assiste à crise.







Desaperte a roupa à volta do pescoço.








Coloque a pessoa de lado com a cabeça baixa, de modo a que a saliva possa escorrer para fora da boca.






ponha qualquer coisa macia debaixo da cabeça, ou ampare esta com a sua mão, impedindo-a de bater no chão ou contra objectos.






Permaneça junto da pessoa até que volte a respirar calmamente e comece a acordar.







Ofereça-se para ajudar no regresso a casa ou chamar alguém da família.

As crises não doem e não são contagiosas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário